Pessoas que adoram celebridades têm habilidades cognitivas mais baixas, sugere estudo

Culto às celebridades
(Foto: Andrea Raffins/Shutterstock)

O chamado culto à celebridade não tem escassez de discípulos, mas novas pesquisas indicam que pessoas que são obcecadas pela vida dos ricos e famosos tendem a alcançar pontuações mais baixas em testes cognitivos. Na revista BMC Psychology, pesquisadores explicam que, embora a adoração a celebridades pareça estar ligada a capacidades intelectuais mais pobres, ainda não está claro se esse fascínio por ícones culturais é uma causa ou consequência dessas habilidades reduzidas.

Os pesquisadores recrutaram 1.763 adultos húngaros para uma pesquisa online, incluindo uma série de testes de inteligência projetados para avaliar dois aspectos diferentes da cognição. A primeira delas teve como objetivo avaliar a “inteligência cristalizada” testando o vocabulário dos participantes, enquanto um teste de símbolo de dígito foi usado para medir a “inteligência fluida”.

Os participantes também preencheram o questionário Celebrity Attitude Scale, para definir seu nível de obsessão por celebridades.

Aqueles cujo interesse por estrelas se limitava a discutir a vida de celebridades com amigos foram categorizados como fãs “entretenimento-social”. O próximo nível, definido como “intenso-pessoal”, envolvia o pensamento compulsivo sobre celebridades. O mais alto nível de obsessão foi rotulado de “borderline-patological”. As pessoas nesta categoria tendiam a concordar com afirmações como “se eu tivesse a sorte de conhecer minha celebridade favorita, e me pedisse para fazer algo ilegal como um favor, eu provavelmente faria isso”.

Os pesquisadores também avaliaram o nível de riqueza material e autoestima de cada participante.

Os pesquisadores descobriram que níveis mais elevados de obsessão por celebridades estavam associados a escores reduzidos tanto para inteligência cristalizada quanto para fluidos e que essa tendência se manteve verdadeira mesmo quando outros fatores demográficos foram levados em conta.

Pessoas que adoram celebridades são menos inteligentes
(Foto:Vincentas Liskauskas/Unsplash)

No entanto, modelos de regressão linear não indicaram que a adoração de celebridades realmente causou essa queda nas capacidades cognitivas, tornando difícil discernir exatamente por que essa associação existe. Especulando sobre a natureza desse link, os autores do estudo afirmam que a obsessão por celebridades pode dificultar as capacidades cognitivas devido ao intenso nível de foco e atenção necessários para manter esse “vínculo emocional unilateral”.

Por outro lado, eles postulam que pessoas com níveis mais altos de inteligência podem ser menos propensas a adorar celebridades devido a uma maior capacidade de reconhecer as “estratégias de marketing por trás de uma pessoa famosa”.

Em última análise, eles concluem que mais pesquisas são necessárias para determinar se a obsessão por celebridades é a causa ou consequência da menor inteligência. Resumindo suas descobertas, eles explicam que “a adoração às celebridades pode ser considerada como um fator contribuinte que pode alterar o desempenho cognitivo ao lado – e independente da – educação, idade e riqueza material, embora outros fatores possam ser fatores mais fortes do desempenho cognitivo”.

Fontes: BMC Psychology e IFL Science.

Leia também:

O Monte Everest é realmente a montanha mais alta da Terra?

Por que estendemos nossas línguas quando estamos concentrados?

O que é a sequência de Fibonacci?

     

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.