Atleta olímpico salva 90 cães que virariam comida na Coreia do Sul

Mesmo assim, ele fez questão de afirmar que respeita os costumes orientais

Atleta olímpico salva 90 cães que virariam comida na Coreia do Sul

A cultura é algo que ainda faz com que muitos países não se entendam. Em grande parte dos países ocidentais, por exemplo, comer cães e gatos é algo inconcebível, certo? Já em outros lugares do mundo, é algo normal. Um atleta olímpico resgatou 90 cães que virariam comida da Coreia do Sul, e isso diz muita coisa.

A Coreia do Sul está entre os países mais avançados do mundo em termos de tecnologia. Por outro lado, é um dos poucos que ainda mantém fazendas de criação e abate de cães para consumo. Lembrando que é algo cultural.

cães resgatados
As redes sociais de Kenworthy mostram que ele está engajado na causa animal
(Foto: Instagram)

Outros países ainda consomem carne de cachorro, mas não mantém fazendas de criação.

Gus Kenworthy já tinha voltados dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, com dois cães resgatados, encontrados na Vila Olímpica. E na última edição do evento, na Coreia, ele e o namorado, o ator Matthew Wilkas, visitaram algumas das fazendas.

Como resultado, trouxeram 90 animais para Estados Unidos e Canadá, que serão adotados.

View this post on Instagram

This morning Matt and I had a heart-wrenching visit to one of the 17,000 dog farms here in South Korea. Across the country there are 2.5 million dogs being raised for food in some of the most disturbing conditions imaginable. Yes, there is an argument to be made that eating dogs is a part of Korean culture. And, while don't personally agree with it, I do agree that it's not my place to impose western ideals on the people here. The way these animals are being treated, however, is completely inhumane and culture should never be a scapegoat for cruelty. I was told that the dogs on this particular farm were kept in "good conditions" by comparison to other farms. The dogs here are malnourished and physically abused, crammed into tiny wire-floored pens, and exposed to the freezing winter elements and scorching summer conditions. When it comes time to put one down it is done so in front of the other dogs by means of electrocution sometimes taking up to 20 agonizing minutes. Despite the beliefs of some, these dogs are no different from the ones we call pets back home. Some of them were even pets at one time and were stolen or found and sold into the dog meat trade. Luckily, this particular farm (thanks to the hard work of the Humane Society International and the cooperation of a farmer who's seen the error of his ways) is being permanently shut down and all 90 of the dogs here will be brought to the US and Canada where they'll find their fur-ever homes. I adopted the sweet baby in the first pic (we named her Beemo) and she'll be coming to the US to live with me as soon as she's through with her vaccinations in a short couple of weeks. I cannot wait to give her the best life possible! There are still millions of dogs here in need of help though (like the Great Pyrenees in the 2nd pic who was truly the sweetest dog ever). I'm hoping to use this visit as an opportunity to raise awareness to the inhumanity of the dog meat trade and the plight of dogs everywhere, including back home in the US where millions of dogs are in need of loving homes! Go to @hsiglobal's page to see how you can help. #dogsarefriendsnotfood #adoptdontshop ❤️🐶

A post shared by gus kenworthy (@guskenworthy) on

Atleta olímpico fez questão de não desrespeitar cultura coreana

Ao se manifestar sobre o caso, Kenworthy afirmou que o problema não era a cultura de consumo de cães em si. Segundo o atleta, o problema eram as formas de tratamento. Os animais que seriam abatidos viviam em condições precárias, desumanas.

“No país há 2,5 milhões de cães criados para virarem comida nas condições mais perturbadoras que se possa imaginar. E sim, há aqui um argumento que tem de ser utilizado de que comer cachorro faz parte da cultura coreana e, apesar de eu não concordar com isso, concordo que não é o meu papel impor os ideais ocidentais aqui. Mas a forma como estes animais são tratados, no entanto, é completamente desumana e a cultura não pode ser um escape para a crueldade”, disse ele.

resgate de cães da Coreia do Sul
Crueldade chamou a atenção do atleta, que estava no país para competições
(Foto: Instagram)

Leia também:

Cão levou quatro tiros protegendo dono adolescente durante assalto

Gato gigante foi resgatado das ruas e recebeu mais de 3 mil pedidos de adoção

Homem de Ferro foi multado em blitz da Lei Seca

Haviam dito a ele que os cães eram mantidos em boas condições. Isso, pois bois e vacas que são criados para abate, por exemplo, também precisam viver em boas condições. Mas no local ele viu cachorros expostos à neve, passando frio e presos em pequenas jaulas.

Com apoio da Human Society International, eles retiraram 90 animais do local e levaram para a América. Gus e Matthew ficaram com um deles, uma fêmea, que chamaram de Beemo.

Recomendamos para você



Dê sua opinião

Sua opinião é importante para que possamos sempre melhorar nosso conteúdo .