Brasil é o país que mais sofre com ansiedade no mundo, segundo OMS

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil é o país mais ansioso do mundo. Em suma, os brasileiros vivem uma verdadeira epidemia de ansiedade, praticamente fora de controle. Os dados apontam que, por aqui, temos a maior quantidade de ansiosos do planeta.

Os números, sem dúvida, levantam alertas e assustam. Em resumo, 9,3 % da população no país sofre com ansiedade. Ou seja, são 18,6 milhões de pessoas que precisam lidar com o transtorno.

Em números mais amplos, vemos como o problema não é apenas nacional, apesar de ser mais frequente no Brasil. Ainda segundo dados da OMS, 33% da população mundial é ansiosa.

(Foto em destaque: Anthony Tran/Unsplash)

A ansiedade, segundo especialistas, é um comportamento natural humano. Ou seja, todos nós convivemos com ela. Mas se torna um problema quando começa a causar problemas no dia a dia.

País sobre uma epidemia de ansiedade
País sobre uma epidemia de ansiedade
(Foto: Volkan Olmez/Unsplash)

Brasil é o país mais ansioso do mundo e remédios ainda são tabus

Infelizmente, de acordo com especialistas, muita gente ainda acha que tomar remédios é “coisa para gente louca”. Vítimas da ansiedade deixam de procurar ajuda por acharem que estariam admitindo um problema mental. Estariam mesmo, certamente. Mas isso não quer dizer nada.

Enfim, a depressão e a ansiedade são mesmo distúrbios mentais, mas não tornam os portadores “loucos”.

Por outro lado, há quem não queira parar com os remédios. Não que eles causem dependência, e sim, pois os usuários temem recaídas. Enfim, os remédios ainda são tabus nos tratamentos mentais.

Leia também:

5 benefícios do contato com a natureza

Quantas vezes por semana devemos fazer sexo?

Benefícios dos exercícios físicos para a mente

Remédios ainda são tabus nos tratamentos de ansiedade e depressão
Remédios ainda são tabus nos tratamentos de ansiedade e depressão
(Foto: Anthony Tran/Unsplash)

Há outras soluções

Os remédios são, sim, necessários, mas não em todos os casos. Há determinados distúrbios e graus que podem ser tratados de outras formas. O déficit de atenção infantil, por exemplo, não precisa ser imediatamente solucionado com remédios.

Em conclusão, é preciso que se entenda que, caso apontados, os remédios não indicam fraqueza ou mesmo incapacidade. Talvez, em caso de uma mudança cultural, aceitação, compreensão, as coisas mudem. O Brasil é o país mais ansioso do mundo, mas também é um dos que mais oferecem motivos para nos sentirmos bem.

Recomendamos para você



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *